Dia 15/02 abri, no Teatro Experimental Waldemar Henrique , a “Pauta Maldita”, que deverá rolar quinzenalmente, sempre à meia-noite. Apresentei lá o Doristi – nome do disco que fiz em 2006 com uma bolsa de pesquisa do IAP (Instituto de Artes do Pará). Infelizmente a gravação de áudio ficou péssima – o plug do gravador foi colocado no buraco errado da mesa (AARghh!). Ficou baixinha e com chiado a gravação. Pensei até em não postar nada dela, já que as músicas do disco tão todas publicadas bacana na internet no Overmundo. Vou colocar então só uma: Urubu. Primeiro porque é inédita e não tá no disco – tô fazendo uma gravação no estúdio e logo logo publicarei na rede. E também porque assim fica um registro acessível (ainda que ruim), deste evento, a quem interessar.

A apresentação foi no dia do aniversário do Waldemar Henrique, e essa foi minha homenagem a ele. Jogando com a idéia de inversão da teoria doristi, eu e o Allan Carvalho fizemos um inversão caótica da letra do Uirapuru – mas ao contrário das letras do disco, onde a inversão está na leitura de trás pra frente das palavras; aqui invertemos o sentido delas. Ficou assim:

Urubu
(Fábio Cavalcante e Allan Carvalho)

Nunca mais de triparia / Eu subi a tamandaré
O almofadinha afundava / E ficava caladinho
Iá iá, e ficava caladinho
Iá iá, caladinho almofadinha

Respeitava a realidade / e pariu olha o pombão
Despintou com humildade / que soltou o urubu
Hum hum, que soltou o urubu
Hum hum, caladinho almofadinha

Me mentiu sobre o Kojak / pai-do-fogo e o mineral
Calou do sei lá quem é / que chora com o sol a pino
Ui ui, que chora com o sol a pino
Ui ui, caladinho almofadinha

Bem na noite que eu me for / o santinho vai amar
Ele vai deixar relax / all these dirty motherfucker
Iá iá, all these dirty motherfucker
Iá iá, caladinho almofadinha

Foi feito um pedido ao público que, caso gostassem, nos vaiassem e não aplaudissem. Eles gostaram.
No meio da gravação toco na flauta a melodia do Uirapuru.

Quem toca nesta música:

Allan Carvalho – Voz
Edgar Chagas Jr – Percussão
Fábio Cavalcante – Violão e Voz
Rafael Barros – Percussão
Renato Torres – Guitarra.